Na ponta oposta à Geração Z, a juventude que se apresenta como o consumidor do momento — e tem todo o foco e a atenção das marcas —, estão os Baby Boomers, geração dos nascidos entre 1945 e 1964. Eles, que tem grande poder aquisitivo e são bastante exigentes na hora de consumir, também são chamados de geração prateada.

O ‘prateado’ no nome tem relação à cor do cabelo: essa é uma geração mais velha, mais madura e mais estável quando o assunto é dinheiro. São muitas vezes consumidores fiéis às marcas que já conhecem, bastante exigentes quando o assunto é atendimento ao cliente e estão se modernizando às tecnologias do momento.

Eles representam, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 15% da nação brasileira — aproximadamente 30 milhões de pessoas. A previsão é que passem a ser 40 milhões até 2030 (18% da população).

Construir uma experiência para os Baby Boomers .não é uma das mais simples tarefas, mas essa jornada personalizada também está longe de ser impossível. Confira os detalhes:

A Black Friday chegou ao Mundo do CX: ganhe até 20% de desconto nos melhores cursos de experiência do cliente

Características dos Baby Boomers

Longe de serem “distantes” da tecnologia, os Baby Boomers estão bastante investidos no uso de smartphones e tablets para consumo e também para conversar com amigos e familiares. Um estudo realizado pelo Beyong Age mostra que essa geração está cada vez mais conectada, sobretudo no WhatsApp e no Facebook.

Na principal rede da Meta, o crescimento do público com mais de 65 anos foi de 225% entre 2015 e 2022. Já no Youtube, o aumento foi de 886%. No Whatsapp e no Instagram, cresceram de 707% e 4937% respectivamente. Em resumo: eles estão nos canais digitais, mas nem toda publicidade ou estratégia de marketing os atinge.

Assim como a geração que os sucedeu, que hoje tem entre 45 e 55 anos, os Baby Boomers estão atentos a evolução do mercado. São usuários dos tablets e smartphones e baseiam boa parte do consumo por esses aparelhos. No atendimento, apesar de não abrirem mão do telefone — porque fazem questão de um atendimento humano —, têm preferido comunicações com as marcas pelo WhatsApp ou e-mail.

Vale destacar que os Baby Boomers são bastante empáticos também, posto que, por ter atingido uma estabilidade financeira, acabam sendo provedores de suas famílias — e ajudam as gerações mais jovens a também conquistarem a independência financeira.

Em geral, como mostra o estudo Tsunami 60+, realizado pela Hype60+ e Pipe.Social, 63% das pessoas com mais de 60 anos ajudam filhos e netos, além de pagar as contas pessoais com o dinheiro do trabalho ou da aposentadoria.

Leia mais: Baby Boomers: a geração que mais cresce nas redes sociais

Montando uma experiência de consumo para os Baby Boomers

Um ponto importante a ser destacado é que essa geração cresceu e sustentou por anos o consumo nas lojas físicas. E ainda que sejam bastante suscetíveis ao uso de tecnologia, o e-commerce ainda não os conquistou por completo.

Esse é um público mais voltado ao presencial, muito embora possa também optar por um consumo phygital — híbrido, na loja física e digital —, especialmente se a jornada de compra começar pela internet e terminar na loja física.

Outro ponto importante é que essa geração faz questão de ter um contato humano. A experiência para o Baby Boomer precisa de originalidade e escuta ativa. Uma vez que eles não são o foco principal das marcas — muito mais atenciosas com a Geração Z —, o atendimento acaba sendo o ápice da experiência para a geração prateada.

Quando se sentem acolhidos, respeitados e ouvidos pelas marcas, esse público também tende a ter sua percepção sobre a experiência alterada: são consumidores mais fiéis e, uma vez fidelizados, são os primeiros a recomendar a empresa para familiares, amigos e colegas de trabalho. Quando não se sentem acolhidos logo à primeira vista, no entanto, raramente costumam dar segundas chances.

Um marketing pensado para eles também se compromete em pensar nas pessoas ao seu redor: os Baby Boomers tendem a ser mais “familiares”: estão preocupados com filhos e netos e preferem experiências que possam ser compartilhadas.

Por fim, usar o WhatsApp como meio de comunicação com o cliente é um grande acerto para essa geração. O aplicativo funciona bem como um canal para receber informações novas sobre a marca, promoções, descontos e novos produtos.

Assine nossa newsletter e receba nossos conteúdos sobre o Mundo do CX 


+ Notícias

Como obter relevância em CX?

Identificação e conhecimento do cliente: a base de sucesso em CX do Boticário