Cada setor tem a sua particularidade na hora de implementar uma estratégia de experiência do cliente que, de fato, funcione. São muitas as diferenças a depender do segmento e, no caso do alimentício, alguns cuidados acabam sendo primordiais na visão geral de satisfação do cliente.

Se para algumas áreas a higiene, o passo a passo, cada etapa do processo, os materiais utilizados e o próprio produtor tendem a ser aspectos pouco importantes, quando o assunto é comida, o consumidor tem um olhar diferente e mais atento.

Sendo assim, separamos quatro pontos de atenção para uma boa experiência do cliente no setor alimentício, confira:

Saiba como criar um manual básico de ações para implantar um programa eficiente de CX no seu restaurante

Personalização de toda a experiência

No setor alimentício, a personalização não é bem algo “a parte” para complementar a experiência, aumentar o índice de satisfação com um produto feito para aquele consumidor. A bem da verdade, a personalização nesse segmento é uma pura necessidade.

Estabelecimentos que comercializam comida, seja esse comércio feito por delivery ou de maneira presencial, precisam deixar um espaço para personalização muito claro, à mostra. E o motivo é simples: nem todo mundo come todos os ingredientes que compõe um determinado prato do cardápio.

O poder de escolha na hora de comer é fundamental para que o consumidor adapte os pratos a sua preferência. E isso significa ter tanto um espaço aberto para pedir mudanças como ter também no menu outras opções do mesmo preparo, para quem é vegetariano ou vegano, por exemplo.

Transparência com o consumidor

Outro ponto fundamental está na transparência com o consumidor. Imprescindível para esse setor, mostrar ao cliente o que ele está ingerindo e como aquilo é preparado é um passo importante para estabelecer vínculos e fortalecer a confiança.

Essa transparência pode ficar tanto nas comunicações oficiais do estabelecimento — e, a partir daí, vale a criatividade da equipe de marketing para formular uma comunicação com o consumidor — quanto no próprio menu ou cardápio, logo abaixo do título do prato.

Em um tempo no qual os clientes se preocupam cada vez mais com a saúde alimentar, trazer informações claras e transparentes é um bom caminho para roborar a experiência.

Leia mais: Metaverso gastronômico: a corrida das marcas do setor alimentício

experiência

Foto: Pexels

A experiência da apresentação do prato

Vivemos a era do “instagramável. Em outras palavras: o primeiro contato do consumidor com a qualidade do serviço e do produto oferecido no setor alimentício é a própria comida. E é um consenso: o ato de “comer” começa pelos olhos.

Ter atenção à apresentação é fundamental para o início da experiência do produto em si. Quanto mais criativa, diferente e apetitosa a refeição, mais satisfeito fica o cliente. E isso vale tanto para a própria comida quanto para os demais itens que vão à mesa: talheres, porcelanas etc.

Para o delivery, vale também investir forte na embalagem levada até o consumidor. Faz parte da apresentação a caixa que carrega o alimento, a forma como ele foi apresentado — e como ele chegará às mãos do consumidor.

Assine nossa newsletter e receba nossos conteúdos sobre o Mundo do CX

Trabalhar a fidelização

A experiência do cliente em um bom estabelecimento, que por consequência serve uma boa comida, também está muito envolvida com o retorno desse consumidor ao restaurante — ou delivery.

Trabalhar em maneiras de fazê-lo consumidor com frequência é primordial para a conquista de uma boa experiência e um relacionamento a longo prazo. Essa estratégia pode vir por meio de um cartão de fidelidade, uma newsletter, promoções frequentes ou descontos nas próximas visitas.

O principal é encontrar maneiras de traduzir a satisfação em frequência de consumo, o que, por consequência, também cria um vínculo mais forte com o consumidor.


+ Notícias

Como desenvolver experiência para instituições financeiras?

O metaverso será a evolução da experiência do cliente digital