Há algo muito claro no futuro das empresas atuais: sem uma jornada rica em experiências, já não será mais possível ter um negócio próspero. A bem da verdade, hoje, a experiência já lidera a intenção de consumo das pessoas. Com as mudanças programadas para as jornadas digitais, no entanto, esse processo fica ainda mais complexo. O ponto é: o momento atual precisa se preocupar com o próximo nível de experiência do consumidor — e ele está no metaverso.

Dois anos de pandemia foram o suficiente para acelerar o processo de popularização do e-commerce e, evidentemente, sem ele, o metaverso ainda estaria no campo das ideias. Agora, entretanto, o varejo eletrônico se prepara para uma nova jornada em um mundo feito com base no digital.

Transforme aprendizado em resultados com os cursos do Mundo do CX

Em outras palavras, um grande e vasto universo que terá no varejo um novo espaço para transformar aquilo que chamamos de realidade.

O futuro do varejo pode definir o futuro da tecnologia

Não é de hoje que o varejo dita tendências de consumo e, para tanto, desenvolve novas tecnologias emergentes. O metaverso, se pensarmos à fundo, veio dessa necessidade de consumir em outro plano: um que fosse físico e ao mesmo tempo digital, algo que tem se tornado possível por meio da realidade virtual aumentada e, daqui alguns anos, fique popular o suficiente para migrar a maior parte do comércio para lá.

É justamente por meio do metaverso, vale destacar, que algumas das tecnologias futuras devem aparecer. Voltadas, é claro, em prol do varejo: uma nova maneira de capturar dados e analisá-los, o que permite, dessa forma, uma nova forma de se fazer negócios nesse segmento. Em resumo: o metaverso trará uma nova definição de experiência digital.

Leia mais: Metaverso: uma realidade mais perto do que imaginamos

Se hoje a experiência digital se baseia na forma de atendimento via chatbot no site, na maneira como a compra vem embalada, no tempo de entrega e na construção de um website — pensado na experiência do usuário (UX) —, na forma como os produtos são ofertados e estão dispostos na página, no metaverso isso pode ser um pouco diferente.

Ainda não é possível mensurar com certeza, mas é de se pensar se as lojas dentro desse novo universo virtual terão atendentes automáticos avatarizados, o que as aproximaria as lojas do metaverso (quem diria, hein?) das lojas digitais. Uma aposta é que, talvez, ambos os atendimentos sejam possíveis: o assistido por um avatar e um mais autônomo para o consumidor, a depender de como ele prefere ser atendido.

metaverso

Foto: Pexels

Personalização no metaverso

A personalização também deve chegar a um outro extremo dentro desse universo. Uma vez que literalmente todos os passos do consumidor serão avaliados, traçar uma estratégia mais personalizada será muito mais simples do que é hoje, porque o acesso a esses dados começará antes mesmo do consumidor chegar até a loja.

Em um futuro próximo, as lojas poderão ter um modelo pronto de perfil com base em dados obtidos dentro do próprio metaverso. Uma loja de roupa, por exemplo, poderá ter acesso aos tamanhos usados e as preferências de estilo, ao passo que estabelecimentos de delivery talvez fiquem mais cientes da dieta adotada e dos horários escolhidos para as refeições.

A expectativa é que tudo gire em torno de dados pré-capturados para transformar a vida digital do consumidor em um grande e preciso algoritmo, capaz de oferecer a ele soluções personalizadas com base em suas atividades cotidianas, oferecidas dentro de um universo que seja ao mesmo tempo físico e virtual.

Faça parte do maior congresso sobre experiência do cliente da América Latina

Encantar no metaverso será desafiador

O maior desafio, além da evidente desenvoltura com novas tecnologias para criar tornar esse universo real e operante, será o fator de encantamento nas experiências. Dado que o metaverso será o grande propulsor de experiências, as empresas que fizerem apenas o básico estarão fadadas ao esquecimento: o fator surpresa necessitará de mais criatividade.

Fazer o feijão com arroz é, de fato, importante. Mas no metaverso, ele já não será mais suficiente.

Assine nossa newsletter e receba nossos conteúdos sobre o Mundo do CX


+ Notícias

5 desafios para alcançar o sucesso em chatbots

O que esperar sobre inovação e futuro em CX?