O WhatsApp anunciou que irá permitir a sincronização das conversas entre dois dispositivos móveis em tempo real. Ou seja, você poderá mandar e receber mensagens em dois celulares diferentes ao mesmo tempo.

Essa nova versão traz um suporte onde o usuário pode cadastrar outro celular como secundário. O novo serviço tem como foco principal empresas e negócios que utilizam o WhatsApp para o seu dia a dia. A comunicação com entre colaboradores, fornecedores e clientes terá uma facilidade maior para tratativas e demandas.

Por exemplo, com esse recurso de sincronização do histórico de conversas entre diferentes celulares, um representante de vendas poderá integrar mais um colaborador num determinado momento do contato auxiliando-o numa demanda específica ou mais técnica da empresa. Squads de desenvolvimento para canais de relacionamento terão um plataforma familiar ao consumidor para também se relacionarem e se referenciarem. Enfim, as opções são inúmeras.

O novo recurso – ainda sem data de lançamento – também estará disponível em versão para iPad. Nesse caso, a função poderá resgatar um gadget até então esquecido por alguns profissionais. Isso poderá trazer um suporte maior para determinadas áreas que buscam além de uma tela maior, um melhor desempenho de hardware e uma nova plataforma de compartilhamento e interação.

Leia mais: WhatsApp, Instagram e Chat: a experiência é um bom bate-papo

Mais interação e expansão em CX

Segundo sites especializados, a Meta leva em paralelo um outro projeto para o WhatsApp Business. Na sua versão paga haverá ainda a possibilidade de liberar até 10 dispositivos para cada número, podendo ser usado em computadores, celulares e tablets.

“WhatsApp é a ferramenta de mensagem mais conhecida do público e o lastro para os negócios para ser a nova fronteira em CX para essa plataforma

Do ponto de vista estratégico, o movimento não é novidade, já que outras empresas como o Telegram e a Netflix possibilitam esse compartilhamento de contas. O Microsoft Teams, talvez seja o exemplo mais “empresarial” para uso e compartilhamento entre profissionais dentro de uma plataforma digital, mas não é popular.

O interessante é que o WhatsApp é a ferramenta de mensagem mais conhecida do público, que já o faz uso para se relacionar com marcas também. Hoje, toda marca tem no WhatsApp seu potencial canal de relacionamento e de transação com seus clientes. Criar então um campo de atuação para empresas, me parece um caminho natural para essa plataforma. Ou seja, aumentar sua penetração nos negócios se desenha como a nova fronteira em CX para o WhatsApp.

Transforme aprendizado em resultados com os cursos do Mundo do CX

O ponto aqui é: em Customer Experience, cada vez mais, novas tecnologias estão possibilitando que o cliente decida o modelo de serviço que mais lhe agrada.

“O uso de ambientes escolhidos pelos próprios clientes, traz referência, novos pontos de vista, maior visão de propósito e, sobretudo, experimentação sobre aquilo que se oferta

E porque isso é importante em CX? Porque como expansão da experiência, o uso de ambientes escolhidos pelos próprios clientes, traz referência, novos pontos de vista, maior visão de propósito e, sobretudo, experimentação sobre aquilo que se oferta, seja um canal de contato ou produto. E essa experiência levada às mãos dos colaboradores, ao seu dia a dia, auxilia muito nessa compressão de valor em CX.

O desenvolvimento de serviços que buscam ter o cliente no centro dos negócios cada vez mais dependerá da experiência dos colaboradores com esses mesmos ecossistemas familiares ao cliente. Uma lógica que agora tem no consumidor – como já dito, que adotou o WhatsApp como canal de contato com as empresas – um vetor que também determina que a sua vivência com essas plataformas seja o principal agente de transformação da experiência do colaborador no seu cotidiano e no desenvolvimento de novos serviços e produtos para o seu consumo.

Assine nossa newsletter e receba nossos conteúdos sobre o Mundo do CX


+ Notícias

O tempo do atendimento e o ganho com o consumidor 

Retirada em até um dia: o ganho em CX do Grupo Boticário