Hoje, uma marca precisa estar atenta ao conceito de diversidade quando pensa em estratégias de Customer Experience (CX).

Algo como se colocar como real consumidor do produto e garantir excelência em todos os momentos da jornada desse cliente, independentemente da sua cor, raça ou gênero.

Esse entendimento e visão é um dos diferenciais do Zé Delivery.

Do ponto de vista de marketing, Thaís Azevedo, CMO do Zé Delivery, entende que hoje já não é mais suficiente fazer uma ação promocional, sem que estejamos de alguma forma devolvendo algo para a sociedade ou apoiando a nossa comunidade.

“Acredito que para pensarmos em formas de impactar positivamente esses jovens consumidores, precisamos mais do que tudo de transparência e atitudes genuínas”, diz Thaís, frente aos desafios de transacionar com um público tão plural hoje.

“Além disso, acreditamos que um impacto positivo começa de dentro pra fora, então temos muitas ações internas focadas em garantir inclusão e diversidade entre nossos colaboradores em todos os níveis da empresa”, revela.

Thaís conta que recentemente a empresa atingiu 49,6% de mulheres em cargos de liderança. “E ainda temos diversas ações de inclusão para pessoas negras e LGBTQIA+. Assim geramos impacto real na sociedade, construindo um propósito que engaja e atrai internamente e externamente, e não nos limitamos somente a ações de marketing”, revela.

Leia mais: A importância da agenda ESG para construção de valor com seus clientes

Mudança cultural e de processos auxiliam na jornada

Evidente que autenticidade e confiança são ativos de alto valor hoje para os consumidores – principalmente para os mais jovens.

diversidade

Thaís Azevedo, CMO do Zé Delivery. (foto: Divulgação)

De acordo com Thaís, esse é um desafio imenso, principalmente para empresas mais tradicionais, pois exige uma mudança cultural e de processos internos.

“No passado, as empresas criavam um produto e depois achavam formas de ‘marketiá-lo’ para te convencer porque você deveria usar aquele determinado produto, muitas vezes focado em benefícios e promessas pouco tangíveis”, comenta Thaís.

“Hoje não temos mais espaço para esse tipo de estratégia, seu produto é aquilo que ele oferece de tangível e percebido para o cliente”, frisa Thaís.

Para Thaís a falta de transparência e autenticidade quebra a confiança que o cliente lhe dá ao escolher a sua marca.

“Por isso hoje se fala tanto em experiência e foco no cliente como o coração do crescimento sustentável de qualquer produto e serviço”, pontua.

Acesse nossa página de microlearnings e obtenha conhecimento de forma prática e ágil 

Respeito e entendimento de público

Por fim Thais, percebe que esse cenário é um convite às marcas para serem mais democráticas e inclusivas respeitando seu mercado de atuação e público-alvo.

“Claro que algumas marcas mais ‘nichadas’ terão públicos específicos e estratégias mais focadas, mas por muito tempo a visão de cliente era muito limitada a um estereótipo de população classe média branca, enquanto o Brasil é um país diverso e plural.  Independentemente do que somos, queremos nos sentir representados, ouvidos, incluídos, e nas novas gerações isso é ainda mais importante”, conclui.


+ Notícias

O debate de R$ 1 bilhão (ou mais): decifrando os novos consumidores

A experiência da entrega: Lojas Renner conclui aquisição da logtech Uello